Viagem de ônibus: economia e diversão

Paciência, curiosidade e espírito de aventura. São três características necessárias para quem deixa o avião ou carro de lado e opta por viajar de ônibus. Sem tanta pressa de chegar no destino final e com paisagens novas para conhecer e explorar, é uma das opções mais interessantes para os fãs de turismo.

Claro que nem sempre é uma “opção”, mas uma “necessidade”. Quase sempre bem mais baratas que as tarifas aéreas, as passagens de ônibus ainda são a forma que muita gente encontra para viajar pelo Brasil (e fora dele). Nem mesmo as promoções-relâmpago de companhias aéreas conseguem equivaler os preços dos bilhetes.

Mas além do interesse financeiro, viajar de ônibus pode ter outros atrativos. É, geralmente, uma experiência que agrega muito à viagem. Dá para conhecer mais do país por terra do que olhando tudo de cima. Mais queapenas uma distância a ser vencida é, digamos, o “recheio” da viagem.

Aprender mais sobre cada lugar que se visita, observando as diferenças ambientais, culturais e econômicas pelo caminho, é algo que se carrega para sempre na memória. E viajar de ônibus também ganha do carro quando a prioridade é descanso e segurança. Sem a preocupação com a estrada, e a possibilidade de relaxar por completo durante o trajeto, o viajante ganha ainda mais em qualidade de viagem.

Sem medo das horas

Quem encara os quase 2 mil quilômetros de São Paulo a Salvador, por exemplo, aproveitará as 30 horas de viagem para conhecer – dependendo do trajeto – cidades mineiras como Belo Horizonte e Teófilo Otoni, e outras baianas como Vitória da Conquista e Feira de Santana. Será, certamente, uma viagem de descobertas culturais como poucas.

Uma viagem ao Pantanal pode ser também longa, mas incrivelmente fascinante. Reconhecido pela Unesco como uma das mais exuberantes e diversificadas reservas naturais do planeta, o complexo cobre parte dos estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul (além de parte do Paraguai e da Bolívia). De São Paulo a Cuiabá ou Campo Grande – 14 e 27 horas de viagem, respectivamente – pode-se conhecer cidades encantadoras como Cáceres, Corumbá, Poconé e Aquidauana pelo caminho.

Mas não precisa ir tão longe. De São Paulo a Florianópolis, com suas 11 horas de viagem, há paradas das mais simpáticas em Joinville, Itajaí e Biguaçu. Certamente, a mala de presentes e lembranças voltará cheia.

Cruzando fronteiras

Há também quem prefira ir para fora do Brasil de ônibus. A América Latina é um destino muito visado pelos mochileiros e aventureiros de plantão.

Um exemplo legal é o Chile. De São Paulo à capital Santiago, pode-se levar longas 56 horas de viagem. Mas o custo é dos mais atraentes: cerca de R$ 300. Dependendo do itinerário (e da empresa), no trajeto dá para conhecer belas cidades como Curitiba, Foz do Iguaçu, Florianópolis e Porto Alegre, além de Córdoba e Mendoza, na Argentina.

E falando nos nossos hermanos, uma viagem de São Paulo a Buenos Aires via terrestre pode custar R$ 250, com um trajeto (33 horas em média) também dos mais interessantes.

Quem mora ou vai para o sul do Brasil tem a chance de explorar o Uruguai com facilidade. Cruzando o pampa gaúcho, a viagem de Porto Alegre a Montevidéu, por exemplo, pode incluir verdadeiras descobertas locais, dos famosos doces de Pelotas a suvenires da Revolução Farroupilha, direto de Bento Gonçalves.

Economia e mais diversão

Para quem divide a viagem em etapas, para poder curtir um pouco mais das localidades que se cruza pelo caminho, a solução ideal para estadia são os albergues. Cada vez mais populares e de melhor qualidade, eles dispõe de localizações por vezes melhores que hoteis tradicionais, e com preços muito inferiores. Quem atravessa o país, por exemplo, do Sul ao Nordeste, pode tranquilamente pernoitar em um albergue em São Paulo, pagando a partir de R$ 20 a diária.

Mesmo um trajeto bastante comum como São Paulo-Rio, com seus 429km e 6 horas de viagem podem gerar boa economia: a passagem de ônibus custa cerca de R$ 65, enquanto que a ponte aérea dificilmente sai por menos de R$ 150. Quem está só de passagem, pode aproveitar a economia e ficar em uma das muitas opções de albergues – Rio de Janeiro e curtir uma praia.

Muitos destes albergues oferecem ainda um serviço de traslado de/para as estações rodoviárias, para aqueles que têm medo de se perder. De resto, o próprio passeio pela cidade já pode garantir belas experiências.

Quem busca praia e vai de São Paulo a Floripa ou Balneário Camboriú, em Santa Catarina, vai pagar menos de R$ 100 pela passagem de ônibus. Além do preço bem menor que um bilhete aéreo, vai poder de fato apreciar algumas das mais belas paisagens do país. Será outro caso de economia ideal para prolongar um pouco a estadia e ficar em uma pousada em Florianópolis, considerado entre os melhores do pais.

PROGRAME-SE

O site Guia de Ônibus possui uma ferramenta bem bacana: é um “roteirizador” para  montar o trajeto entre duas cidades, com diferetnes opções de parada.

Depois, vale ver o aplicativo da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) que lista as linhas de ônibus (com respectivos dados de contato) que fazem ligação entre duas localidades dentro do Brasil.

E antes de viajar, é sempre bom conferir a cartilha com os direitos e deveres do passageiro.

DICAS PRÁTICAS

* Use roupas e calçados confortáveis sempre, especialmente se a viagem for longa. Ainda que seja época ou destino de muito calor, vale sempre levar um agasalho à mão, já que o ar condicionado de alguns veículos às vezes é gelado demais.

* Um travesseiro ou encosto para quem viaja nos carros convencionais é sempre uma boa dica na hora de dormir ou cochilar.

* Se puder desembolsar um pouco mais na passagem, os ônibus-leito são sinônimo de mais conforto, com espaço extra para esticar as pernas e reclinar a poltrona, entre outros mimos.

* Uma garrafa d´água e algo para beliscar durante os trajetos são sempre indicados. A parada seguinte pode demorar e você pode sentir sede ou fome.

* Não esqueça do iPod, MP3 player ou afins (com devidas baterias carregadas), além de livros, revistas ou palavras-cruzadas para ajudar a passar o tempo.

* Tenha itens de higiene básicos consigo, como escova e pasta de dentes, desodorante e uma toalha de rosto para dar uma refrescada de quando em quando.

* Guarde consigo (na bagagem de mão) objetos pessoais e de valor, incluindo dinheiro, cartões de crédito, documentos e comprovantes de viagem.

* Uma câmera fotográfica pode garantir bons registros da viagem durante o trajeto entre destinos.

 

Gostou? Leia também:

 

 

Um agradecimento especial pelas fotos do flickr para wiwillbe e Johannes Reinhart.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × um =