Guia para o Mochileiro se dar bem no Hostel e na Viagem

Azaração de albergue: guia para o mochileiro se dar bem na estrada

Quando se pergunta aos mochileiros e viajantes independentes porque eles curtem uma longa viagem mundo afora, é bem provável que eles incluam “conhecer novas pessoas e fazer novos amigos” entre os motivos.

E é a pura verdade – ficar em albergues em outras cidades ou países é uma experiência social das mais legais, e é essa mistura de ambiente descontraído com clima de aventura que a torna tão viciante… depois que você for picado pelo mosqiuitinho do mochilão, não há mais volta. Claro que uma hora pode ficar um pouco solitário se aventurar pelo mundo sozinho – mas aquela ideia de conhecer gente nova pode também dar uma ajudinha perfeita para um pouco de azaração, xaveco, romance ou quem sabe um futuro namoro!

Aqui vão algumas dicas práticas do que fazer ou não fazer enquanto estiver em viagem, caso você esteja em busca de uma diversão extra. E, vamos combinar, nada de puritanismo! No fundo, todo mundo quer! E as dicas abaixo podem estar no masculino, mas é por pura regra da língua portuguesa… as moças também podem e devem seguir os conselhos!

 

Tente aprender a língua

Algumas frases básicas no dialeto local (tais quais por favor, obrigado, posso te oferecer uma bebida?, você vem sempre aqui?) vão ajudar quando você estiver em terras estrangeiras e onde a comunicação é bem diferente da sua. Por via das dúvidas, deixe o inglês tinindo, já que é sempre uma opção segura. Daí, aproveite para impressionar os locais com toda sua inteligência e vasto conhecimento cultural (afinal, eles não precisam saber que você só sabe essas frases!)… isso é garantia de sucesso depois de uns drinques.

 

Seja corajoso e extrovertido

Você pode até não ser tão confiante e extrovertido em casa, mas o cenário precisa mudar quando se está no circuito mochileiro. Quando as pessoas estão fora por longos períodos, costumam ficar bem mais receptivas aos “avanços” de gente nova em albergues, bares, cafés e clubes (e um papinho em sua língua natal também tem seu encanto extra). Então dê um passo além do que você faria em circunstâncias normais… você nunca sabe o que poderá acontecer dali em diante.

 

Finja estar perdido para começar uma conversa

Se está travado para começar o papo, dar uma de perdido pode fazer maravilhas para colocar você no mapa (literalmente). Não importa se o iPhone no seu bolso pode dar a exata coordenada em cinco segundos – pedir ajuda e dicas para outro mochileiro e fazê-lo sentir-se o expert local é quase garantia de uma primeira química.

 

Não fique discursando sobre suas peripécias

Ainda que seja tentador focar toda sua lábia xavequeira na paixão comum de viagens entre vocês, as piadas e coisas engraçadas podem acabar rápido e a “conexão” entre vocês pode secar. É fundamental mostrar interesse na outra pessoa, seus hábitos, costumes e personalidade, para que você próprio pareça gentil e especial. E lembre-se também que ninguém atura aquele tipo de mochileiro/viajante que fica se gabando das suas incríveis aventuras de viagem, que são sempre melhores e mais sensacionais que a de todo mundo. Vai terminar a noite sozinho, muito provavelmente.

 

Banho! Sempre!

Não importa se você está num campo isolado do sudeste asiático e água é quase um luxo. Higiene pessoal é sempre prioridade e é seu cartão de visitas. Vale improvisar até com lenços umedecidos,  sabonete antibactericida ou um chicletinho pra disfarçar o hálito… o que não dá é pra se apresentar portando odores suspeitos!

 

Tenha consideração por seus colegas mochileiros

Ok, vamos às partes práticas então. Uma vez achado o par ideal, as coisas podem ficar um pouco complicadas se você está dividindo o dormitório com um time de 20 adolescentes autralianos ou um grupo de mocinhas em excursão do colégio. Portanto, encontrar um espacinho para levar adiante sua recém declarada paixão pode ser um verdadeiro desafio.

O mínimo que se quer é evitar de deixar o albergue expulso ou banido por comportamento indecente, certo? Então a ideia é embarcar na aventura e fazer da tarefa de encontrar um cantinho razoavelmente adequado para sua diversão algo como uma preliminar. Na falta de melhores alternativas, aposta nas opções clássicas: lavanderias, terraços desertos ou os bons e velhos chuveiros (afinal, banheiros costumam ter trancas!). Seus colegas de quarto certamente vão agradecer.

Mas claro que se você (ou seu par) quiser algo mais romântico que uma rapidinha básica, vale a pena gastar um pouquinho mais do orçamento e investir num quarto privativo, nem que seja por uma noite. O saldo final poderá ser bem mais satisfatório…

 

Não perca a noção!

Dar passos mais avançados é uma coisa, mas só porque você está, digamos, aberto a novas experiências não significa deixar o bom senso em casa! Segurança e prevenção devem ser aliadas caso sua relação vá um nível além. Dica básica e direta: preservativos na mochila sempre (dependendo do lugar onde você está, eles podem ser difíceis de encontrar). Acordar no outro dia com ressaca é uma coisa, mas vamos combinar que levar um bebezinho ou (isola!) uma DST pra casa não vai ser uma boa história pra contar de sua viagem, certo? Por vida das dúvidas, não abuse do álcool também… é sempre mais seguro.

 

E você? Tem alguma história (romântica ou nem tanto) pra compartilhar com a gente? Uma investida que rendeu as melhores férias de sua vida? Ou uma roubada que você quis esquecer rapidinho? Conta aí!

Se ainda não teve uma aventura do tipo, é sempre hora de começar! Com HostelBookers, reservar um hostel pelo mundo não pode ser mais fácil!

 

Gostou? Leia também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dez − nove =