Seis coisas que só se podem fazer em Lisboa

por Luc O Cinnseala

O facto de Lisboa ser a capital mais barata da Europa Ocidental é apenas um dos muitos motivos para visitar este destino encantador, conhecido pelas calçadas que sobem e descem a muitas colinas. A animada capital de Portugal tem fama pela sua vida noturna agitada, atividades abundantes e hostels boutique cheios de estilo, tornando-a num destino de sonho para uma escapadela em cidade.

Desafiamo-lo a tentar não se apaixonar por esta cidade tão subvalorizada depois de fazer tudo o que está nesta lista!

1. Andar no Elétrico 28

The 28 Tram Esta é uma das formas mais divertidas de se deslocar em Lisboa e, por 1,35 €, o Elétrico 28 é uma pechincha. Subindo e descendo colinas incrivelmente íngremes durante 45 minutos, as carruagens antigas chocalham por ruas tão estreitas que é possível tocar nos edifícios a partir a janela. (Este é um facto e não uma recomendação)

O fim da linha é no lado leste da Praça Martim Moniz, próximo do canto sudeste, ocupado por uma mão-cheia de turistas a perguntar-se se estarão no sítio certo.

Quando o elétrico chega, pague ao maquinista em dinheiro ou use o seu cartão do metro, e procure um lugar à janela, se possível. Depois, aproveite as vistas sobre várias secções desta cidade tão diversa, incluindo o Castelo de São Jorge, a Baixa de Lisboa, o famoso Bairro Alto, onde se situa a zona dos bares, o magnífico edifício neoclássico que alberga o parlamento português e, por último, o Cemitério dos Prazeres.

2. Atravesse a Ponte 25 de Abril para visitar o Cristo Rei

Ponte 25 de AbrilOnde mais pode dizer que atravessou a Ponte Golden Gate para ver de perto a estátua de Cristo Redentor? É tudo possível em Lisboa, onde pode ver as versões portuguesas dos famosos monumentos de S. Francisco e do Rio de Janeiro, ambos ícones de direito próprio nesta cidade, visíveis a partir de muitos pontos das colinas da metrópole.

A Ponte 25 de Abril, que atravessa o rio Tejo, tem apenas 460 metros menos que a sua versão americana. No entanto, a estátua de Cristo-Rei, com 103 metros de altura, ultrapassa mais de duas vezes e meia a altura da sua prima sul-americana.

Na base do monumento, obtém-se uma vista tipo postal da ponte e uma vista panorâmica da baixa de Lisboa. Por mais 4 €, pode apanhar o elevador até ao cimo do pedestal de 82 metros e maximizar as vistas avassaladoras.

Chegar à estátua desde a estação do Rossio, na baixa, demora cerca de 45 minutos mas, se tiver um dia para explorar, a viagem vale bem a pena. Apanhe o comboio para Sintra até Campolide e, depois, apanhe o comboio em direção a Setúbal para atravessar a ponte, saindo em Coina. A partir daí, a estátua fica a 20 minutos a pé.

3. Beber Ginjinha

Ginjinha barNada diz “férias” como experimentar uma bebida alcoólica local. O licor de cereja amarga Ginjinha é precisamente isso em Lisboa. A bebida está disponível em toda a cidade, frequentemente em pequenos bares que apenas vendem esta bebida.

Tome a sua dose na Ginginha do Carmo, um bar encantador, mas fácil de não ver, situado num umbral junto aos degraus que sobem a colina imediatamente a sul da estação do Rossio. Por 1,65 €, recebe um shot desta bebida tão portuguesa servida numa taça de chocolate. Se conseguir resistir a comer imediatamente a sua taça, os simpáticos empregados oferecem-lhe um segundo shot grátis!

4. Festa no Cais do Sodré

Cais do SodreSeria quase um milagre passar algum tempo em Lisboa sem alguém lhe recomendar uma bebida no Bairro Alto, com a sua abundância de bares da moda – e deve seguir este conselho. Mas se o álcool, a curiosidade e a gravidade lhe ganharem, pode inadvertidamente encontrar-se a seguir pela Rua do Alecrim, a colina que liga a Praça de Luís de Camões ao Cais do Sodré, na marginal.

Até ao início da década, era aqui que se encontravam os marinheiros, strippers e prostitutas da cidade. Agora, é aqui que fica a icónica sala de espetáculos ao vivo Music Box e muitos bares de mergulho que, tendo em tempos feito parte das instalações pouco respeitáveis deste bairro, encontraram uma nova vida após a gentrificação.

5. Cortar o cabelo no Figaros (para homens)

Figaro's Barbershop in LisbonÉ espetacular ir a um barbeiro no estrangeiro; é uma oportunidade para conhecer diretamente os comerciantes locais e fazer um merecido descanso de um dia ocupado de turismo. Não há outro sítio onde este sentido de fuga esteja mais presente do que no Figaros, no sopé da Rua do Alecrim, acima mencionada, no limite do Cais do Sodré.

Os clientes podem esperar receber um meticuloso corte de cabelo meticuloso à maneira antiga, realizado por funcionários incrivelmente fixes, numa sala peculiar e cavernosa. Atendem sem marcação, mas os clientes podem ter de esperar uma hora ou mais – o que não é um problema quando existe um fluxo constante de uísque e cerveja. Este é um barbeiro que apenas atende clientela masculina, embora, caso queira fazer uma poupa de senhora, possa estar à vontade! Quando David Beckham aqui veio em 2015, descreveu-o como “possivelmente o melhor barbeiro de sempre”. Não é uma má avaliação vinda de um dos maiores ícones de estilo do mundo. Os preços começam nos 25 € por um corte de cabelo clássico, de que não se irá esquecer.

6. Comer na praça da alimentação do Mercado da Ribeira

Time Out Mercado da RibeiraDecidir onde comer em férias é uma luta que tem testado amizades e terminado relações. Este não é um problema para quem tiver a sorte de conhecer esta praça da alimentação da moda, aberta pela revista Time Out em 2014, no maior mercado de alimentos frescos da cidade, em frente à estação do Rossio.

Este espaço invulgar possui 35 quiosques que “juntam algumas das lojas de alimentação e restaurantes favoritos”, servindo de tudo, desde queijo a vinho, de carne de vaca a marisco e muitos doces. Tente ir à praça da alimentação fora da hora normal de almoço em Portugal, uma vez que pode estar MUITO cheia, sendo difícil encontrar um lugar.

Mas onde ficar?

A Destination Hostels é uma cadeia elegante de hostels com três instalações em Lisboa, duas das quais são ideais para as saídas acima indicadas.

altO Lisbon Destination Hostel situa-se dentro da própria Estação do Rossio e possui um tema de jardim e um bar no espaço industrial onde se situa. O comboio para o Cristo-Rei fica literalmente no piso de baixo, enquanto o fim da linha do elétrico 28 fica a 5 minutos a pé.

Sunset Destination LisbonSituado na Estação do Cais do Sodré, o Sunset Destination Hostel é outro hostel moderno, cuja decoração, que consiste em papel de parede retro, malas vintage e gramofones, faz os hóspedes sentirem que entraram na era dourada das viagens ferroviárias. Possui também um terraço no telhado, com uma pequena piscina na margem do rio.

Lisboa é famosa pelos padrões incrivelmente elevados dos hostels boutique, oferecendo muitos extras, desde galerias de arte no próprio edifício a empréstimos grátis de bicicleta e a refeições caseiras de três pratos. Conheça todos aqui!

Obrigado a Edna Winti, Pedro Ribeiro Simões e Olympusjohn pelo uso das suas fotografias espetaculares ao abrigo da licença Creative Commons.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *